shadow

Um importante democrata da Câmara promove Biden para reabrir negociações comerciais da UE

cupom com desconto - o melhor site de cupom de desconto cupomcomdesconto.com.br


WASHINGTON – O presidente do poderoso House Ways and Means Committee instou o novo governo a renovar as negociações comerciais com a União Europeia, contrariando a promessa do presidente eleito Joseph R. Biden Jr. de adiar quaisquer novas negociações comerciais até depois que os Estados Unidos o fizessem fez investimentos domésticos significativos.

A declaração na sexta-feira, do deputado Richard E. Neal, democrata de Massachusetts, levanta a questão de se a pressão do Congresso poderia persuadir o governo Biden a adotar uma abordagem mais agressiva nas negociações comerciais com aliados próximos.

Biden minimizou as expectativas de novas negociações comerciais no início de seu mandato, dizendo que deseja primeiro assumir o controle da pandemia e fazer investimentos substanciais nas indústrias americanas, como energia, biotecnologia e inteligência artificial.

“Não vou entrar em nenhum novo acordo comercial com ninguém até que tenhamos feito grandes investimentos aqui em casa e em nossos trabalhadores”, disse Biden em uma entrevista ao New York Times na semana passada.

Mas, uma vez que a oposição do Congresso seria um dos principais obstáculos a qualquer novo acordo comercial, o apoio de democratas importantes pode ser uma forte motivação para iniciar as negociações.

Em uma entrevista, Neal sugeriu que chegar a um acordo comercial com a União Europeia ajudaria a lidar com a crescente ameaça econômica da China, que tem usado subsídios pesados, empresas estatais e outras práticas para dominar as indústrias e desafiar as regras comerciais por muito tempo abraçado no Ocidente.

Neal chamou a abordagem de Biden de “boa e justa”, mas argumentou que buscar negociações comerciais da UE “é parte de um desafio de política externa no que se refere às atividades expansionistas da China”.

Leia Também  Desigualdade, os ODS e o movimento dos direitos humanos nos EUA e no mundo

“Acho que devemos, agora, nos preparar para enfrentar a natureza agressiva do que a China está fazendo no mundo”, acrescentou.

O Sr. Biden precisaria do apoio do Sr. Neal e outros para cimentar tal acordo. A chamada autoridade de promoção comercial, um estatuto que estabelece diretrizes para o poder executivo na medida em que negocia acordos comerciais e agiliza o processo de aprovação, deve expirar em julho; qualquer acordo submetido ao Congresso depois disso poderia enfrentar um caminho mais difícil para ratificação. Ainda não está claro se o governo Biden fará uma petição ao Congresso para renovar a autoridade.

Apesar dos profundos laços históricos, os Estados Unidos e a Europa nem sempre tiveram uma relação comercial fácil. Os governos vêm discutindo há décadas sobre tarifas, subsídios agrícolas e padrões de segurança alimentar, e os esforços para chegar a um pacto comercial abrangente sob as administrações Obama e Trump foram, no final das contas, abandonados.

cupom com desconto - o melhor site de cupom de desconto cupomcomdesconto.com.br

Mas Biden sempre falou da importância de fortalecer as alianças americanas, e ele e seus conselheiros estão ansiosos para remediar os laços com a Europa que foram prejudicados pela abordagem comercial de confronto do presidente Trump. Eles também veem muitos pontos em comum com a União Europeia em questões como mudança climática, padrões de trabalho e proteção ao consumidor, bem como contra o crescente poder geopolítico e práticas comerciais da China.

Ambos os governos parecem ansiosos para avançar nas questões comerciais que infeccionaram sob a administração de Trump, incluindo discussões sobre subsídios para a indústria aeronáutica e planos de países europeus para taxar gigantes da tecnologia americana.

Leia Também  O papel da China na região MENA pós-COVID-19

Essas discussões seriam conduzidas pela representante comercial de Biden, Katherine Tai, que o presidente eleito planeja apresentar na sexta-feira como sua indicada para o cargo. A Sra. Tai faz parte da equipe do Sr. Neal como principal advogada comercial do Comitê de Formas e Meios.

O Sr. Neal se recusou a entrar em detalhes sobre as conversas que teve com a Sra. Tai sobre a busca de acordos comerciais com a União Europeia, mas disse: “Acho que concordamos amplamente sobre a natureza do desafio”.

O Sr. Neal apontou o Acordo Estados Unidos-México-Canadá como um “modelo” para novos pactos comerciais. O acordo, sucessor do Acordo de Livre Comércio da América do Norte, foi negociado por Trump e revisado por congressistas democratas, incluindo Neal e Tai, antes de entrar em vigor neste ano.

“O que fomos capazes de fazer com a USMCA em termos de meio ambiente, normas trabalhistas, fiscalização – acho que tivemos um certo impulso”, disse Neal. Ele disse que continua trabalhando para angariar apoio para usar um acordo comercial europeu para conter a influência da China em todo o mundo.

Em seu comunicado na sexta-feira, Neal disse que buscar um acordo comercial com a União Europeia seria uma “escolha estrategicamente sólida”, já que os Estados Unidos tentam competir economicamente com a China e reconstruir sua economia da recessão pandêmica.

Ele instou o governo Biden a se envolver com aliados na Europa e em outros lugares para “formular um pacote de programas e investimentos estratégico, de longo alcance, prospectivo e robusto para se defender contra as influências anticompetitivas e antidemocráticas das políticas da China”.

cupom com desconto - o melhor site de cupom de desconto cupomcomdesconto.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *